Os indicadores essenciais para medir o sucesso de startups

​O melhor indicador para saber se o seu negócio está sendo bem sucedido ou não é a chamada “ultima linha” do seu DRE (Demonstrativo de Resultados), isto é, o lucro ou prejuízo que está tendo. Para uma startup, este é um critério inviável, pelo menos no seu inicio até atingir o ponto de equilíbrio.


Assim, precisamos utilizar outros indicadores para avaliar se os seus resultados estão demonstrando que está no caminho do sucesso ou não.

Custo de Aquisição de Cliente (CPA) versus seu Lifetime Value (LTV): Nesta avaliação, devemos comparar quanto a startup gasta para conquistar um cliente em relação ao quanto este cliente gerará de receita em média enquanto se mantiver ativo. O LTV deve ser significativamente maior que o CPA, pois além do custo de aquisição de cliente, as receitas do cliente devem cobrir todos os outros custos e despesas da empresa e gerarem lucro.

EBITDA: A sigla em inglês para “Lucro antes dos Juros, Impostos, Depreciação e Amortização” é uma métrica que avalia o quanto a startup tem capacidade de gerar caixa, desconsiderando os investimentos efetivados.

Escalabilidade: Deve-se medir o crescimento das receitas em proporção ao das despesas. É muito importante que as primeiras cresçam em uma proporção superior às últimas, pois caso contrário o negócio dificilmente atingirá a lucratividade.

Taxa de conversão: Indica quantos potenciais clientes se tornam ativos. Pode ser comparada com médias de mercado para cada segmento para avaliar a aderência do produto/serviço.

Taxa de Churn: É um indicador muito importante para prestadores de serviço recorrentes. Mostra quantos clientes cancelam o serviço depois de um determinado intervalo de tempo (normalmente mensal). O valor deve ser o menor possível.

Importante observar que outras métricas, como, números de seguidores em redes sociais, número de cadastros e número de acessos/pageviews, normalmente tem pouco valor, pois não indicam obrigatoriamente a aceitação do produto/serviço e podem ser induzidas por ações que façam crescer sua quantidade, mas sem reflexo nos resultados, por isto são chamadas “métricas de vaidade”.

Fonte: Exame
Autor: Cássio Spina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Área do Associado